quinta-feira, 29 de setembro de 2011

3ª Jornada do Patrimônio Cultural em Ouro Preto

Foi realizada no mês de Setembro a 3ª Jornada do Patrimônio Cultural em Ouro Preto, cuja proposta nacional teve como temática a seguinte frase“Quando a minha história conta a história de todos”. As ações promovidas pela Jornada tem como intuito promover a reflexão entre os municípios e instituições culturais acerca do importante papel da comunidade enquanto agente histórico, uma vez que ela atua  na construção da memória local. Dentre as atividades realizadas em Ouro Preto e seus distritos podemos destacar a Oficina de Renda Marafunda, de Educação Patrimonial e Conservação Preventiva de Imagens Religiosas, além de exposições no Anexo do Teatro Casa da Ópera e no Restaurante Bené da Flauta.

A Oficina de Renda Marafunda, foi realizada nos dias 12 e 13 de Setembro pela Associação Arte, Ofício e Cultura no Bairro São Sebastião. Trazida para o Brasil pelos portugueses, a Associação tenta resgatar essa tradição, oferecendo semanalmente aulas gratuitas para o aprendizado dessa arte. Em 2010 essa oficina foi inscrita na programação, já na 3ª jornada, foi convidada devido ao seu destaque no ano anterior.

Em Lavras Novas e em Santo Antônio do Salto foram realizadas duas oficinas - a de Educação Patrimonial e Conservação Preventiva de Imagens Religiosas. Essas oficinas foram  ministradas por João Paulo Martins, Raquel Oliveira, Bárbara Mançanares e Kássia Costa com o intuito de refletir, juntamente com a comunidade dessas localidades, a questão do Patrimônio como reconhecimento do "eu", sujeito, nos elementos constituintes do dia-a-dia, uma vez que a vontade de preservar algo só ocorre na medida em que nos reconhecemos, identificamos e estabelecemos memórias afetivas com o espaço ou objeto.

Mulheres da Associação de Moradores de Lavras Novas participaram da oficina no local. Memórias de espaços do distrito que remetem às festas locais foram contadas durante uma caminhada por esses locais. A pequena lapa, onde se conta que apareceu a imagem de Nossa Senhora dos Prazeres; a Fonte Grande, onde mulheres costumavam lavar roupa, buscar água para as casas e que, nos dias de festa, os visitantes procuravam para matar a sede; casas de antigos moradores e artesãos locais também foram apontadas. O roteiro foi registrado em vídeo e o material servirá também para o inventário da festa que está sendo realizado pela equipe do Patrimônio Imaterial da Prefeitura de Ouro Preto.

Em Santo Antônio do Salto, as oficinas com alunos do 5o. e 9o. anos do Ensino Fundamental se baseou também na montagem de roteiros na localidade e a escolha de espaços referenciais para os mesmos. Alunos do 9o. elegeram a Passarela, que leva à Usina do Funil, por toda a visualização que a mesma permite, com um importante espaço local. No caminho até a mesma, passa-se pelo Fundão do Cintra, onde fica a capela de Nossa Senhora dos Remédios, cuja festa é registrada como patrimônio imaterial de Ouro Preto. A capela passa, atualmente, por uma restauração. Ao passar pelo local, visitamos a obra e foi estabelecido um diálogo com os responsáveis pela obra, que falaram sobre a manutenção de técnicas construtivas na intervenção. Os alunos do 5o. ano fizeram um roteiro pela praça central, mostrando os diversos caminhos que levam até a escola. A finalização da atividade se deu com a confecção de desenhos, pinturas e maquetes de alguns dos espaços, como a capela do Fundão do Cintra, de Santo Antônio, São Vicente de Paula, da Usina do Salto, e  paisagens locais.

Oficina de Educação Patrimonial realizada em Lavras Novas
















Oficina de Educação Patrimonial realizada em Santo Antônio do Salto com o 5º e 9º ano da Escola Municipal Aleijadinho



























3ª Jornada do Patrimônio Cultural em Ouro Preto

Foi realizada no mês de Setembro a 3ª Jornada do Patrimônio Cultural em Ouro Preto, cuja proposta nacional teve como temática a seguinte frase“Quando a minha história conta a história de todos”. As ações promovidas pela Jornada tem como intuito promover a reflexão entre os municípios e instituições culturais acerca do importante papel da comunidade enquanto agente histórico, uma vez que ela atua  na construção da memória local. Dentre as atividades realizadas em Ouro Preto e seus distritos podemos destacar a Oficina de Renda Marafunda, de Educação Patrimonial e Conservação Preventiva de Imagens Religiosas, além de exposições no Anexo do Teatro Casa da Ópera e no Restaurante Bené da Flauta.

A Oficina de Renda Marafunda, foi realizada nos dias 12 e 13 de Setembro pela Associação Arte, Ofício e Cultura no Bairro São Sebastião. Trazida para o Brasil pelos portugueses, a Associação tenta resgatar essa tradição, oferecendo semanalmente aulas gratuitas para o aprendizado dessa arte. Em 2010 essa oficina foi inscrita na programação, já na 3ª jornada, foi convidada devido ao seu destaque no ano anterior.

Em Lavras Novas e em Santo Antônio do Salto foram realizadas duas oficinas - a de Educação Patrimonial e Conservação Preventiva de Imagens Religiosas. Essas oficinas foram  ministradas por João Paulo Martins, Raquel Oliveira, Bárbara Mançanares e Kássia Costa com o intuito de refletir, juntamente com a comunidade dessas localidades, a questão do Patrimônio como reconhecimento do "eu", sujeito, nos elementos constituintes do dia-a-dia, uma vez que a vontade de preservar algo só ocorre na medida em que nos reconhecemos, identificamos e estabelecemos memórias afetivas com o espaço ou objeto.

Mulheres da Associação de Moradores de Lavras Novas participaram da oficina no local. Memórias de espaços do distrito que remetem às festas locais foram contadas durante uma caminhada por esses locais. A pequena lapa, onde se conta que apareceu a imagem de Nossa Senhora dos Prazeres; a Fonte Grande, onde mulheres costumavam lavar roupa, buscar água para as casas e que, nos dias de festa, os visitantes procuravam para matar a sede; casas de antigos moradores e artesãos locais também foram apontadas. O roteiro foi registrado em vídeo e o material servirá também para o inventário da festa que está sendo realizado pela equipe do Patrimônio Imaterial da Prefeitura de Ouro Preto.

Em Santo Antônio do Salto, as oficinas com alunos do 5o. e 9o. anos do Ensino Fundamental se baseou também na montagem de roteiros na localidade e a escolha de espaços referenciais para os mesmos. Alunos do 9o. elegeram a Passarela, que leva à Usina do Funil, por toda a visualização que a mesma permite, com um importante espaço local. No caminho até a mesma, passa-se pelo Fundão do Cintra, onde fica a capela de Nossa Senhora dos Remédios, cuja festa é registrada como patrimônio imaterial de Ouro Preto. A capela passa, atualmente, por uma restauração. Ao passar pelo local, visitamos a obra e foi estabelecido um diálogo com os responsáveis pela obra, que falaram sobre a manutenção de técnicas construtivas na intervenção. Os alunos do 5o. ano fizeram um roteiro pela praça central, mostrando os diversos caminhos que levam até a escola. A finalização da atividade se deu com a confecção de desenhos, pinturas e maquetes de alguns dos espaços, como a capela do Fundão do Cintra, de Santo Antônio, São Vicente de Paula, da Usina do Salto, e  paisagens locais.

Oficina de Educação Patrimonial realizada em Lavras Novas















Oficina de Educação Patrimonial realizada em Santo Antônio do Salto com o 5º e 9º ano da Escola Municipal Aleijadinho